Dicas e tutoriais

10 dicas para fazer um cartão de visita profissional sem ser designer

ferramentas-cartao-de-visita

Um cartão de visita bonito, estilizado e com cara profissional, é exatamente o que você está precisando no momento. O grande problema é que você não sabe por onde começar, certo? E além de tudo você não é designer, o que pode limitar um pouco as suas referências.

Criar um material apresentável e de impacto não precisa ser uma tarefa desenvolvida apenas por profissionais. Você pode colocar a mão na massa, produzir algo incrível e ainda não gastar um centavo com isso!

Para te dar um norte, trouxemos 10 dicas que te ajudarão a fazer um cartão de visita profissional. Você precisará de disposição, criatividade e algumas noções básicas de cores e materiais. Vamos começar?

1. Entenda seu estilo e área de atuação

A primeira dica, que precisa estar no topo do processo de produção, é entender o que de fato combina com o seu estilo e área de atuação. Pode parecer óbvio, mas muitas vezes acabamos perdendo o foco e misturando nossos gostos pessoais.

Vou te dar um exemplo: você ama amarelo e acha incrível aquelas artes com fonte corrida, super estilizadas. Por outro lado, você atua no ramo de restaurantes. Até que ponto este seria o design ideal para o seu negócio? Será que passará a ideia correta do ambiente e causará as impressões que você deseja?

É importante casar as cores do cartão com as cores do seu negócio e entender o impacto delas. Se você atua no ramo de restaurantes saudáveis, por exemplo, a combinação de vermelho e amarelo seria a ideal? Ou talvez um verde com branco?

Todos os elementos gráficos que você inserir no seu cartão precisão estar ali por algum motivo. Por isso defina bem a mensagem que você quer passar e transpareça isso por meio das cores, de um design mais geométrico ou abstrato, e até mesmo da fonte.

Ao fazermos isso, desenvolvemos uma identidade mais alinhada e que condiz com o seu negócio, e não com seus gostos pessoais.

2. Busque referências que te agradam

referencia-cartao-de-visita-pinterest

Criar algo do zero, principalmente se você não é da área, pode ser um pouco complicado justamente por falta de referências. Por isso, uma dica é buscar por exemplos que te agradam e que sigam a mesma linha que você pretende trabalhar.

Para encontrar ótimas inspirações você pode acessar redes como o Pinterest. Lá você poderá encontrar diversas ideias as quais você conseguirá filtrar e entender melhor o que espera da sua arte.

Muitas vezes encontramos elementos e formatos diferentes que podem se encaixar perfeitamente ao que você estava pensando, dando mais espaço para criar coisas novas e cheias de referências inovadoras.

3. Noções básicas de cores

As cores são elementos essenciais dentro de todo o conjunto. É claro que todos os elementos se complementam entre si, mas de nada adianta uma fonte e uma ideia genial para montar seu cartão, se as cores não correspondem à mensagem.

Como já citamos anteriormente, é necessário entender o seu negócio para escolher a cor que mais o representa. Após esse passo, é preciso escolher as cores secundárias que vão complementar e trazer harmonia ao projeto.

A grande questão é que não são todas as cores que combinam e podem aparecer juntas. Para isso, existem alguns sites que facilitam esse trabalho montando paletas de cores para ajudar quem não tem muitas noções na área.

Sites como o Coolors e o Adobe Color CC são alguns ótimos exemplos, sugerindo diversas variações para que você customize as paletas da maneira que achar melhor, dando a possibilidade de exportá-las para você aplicar no seu projeto. Esta é uma forma bem funcional de produzir paletas de cores sem precisar perder horas tentando entender o que combina com o quê.

Outra coisa interessante que precisamos nos atentar é sobre a psicologia das cores! Cada cor passa sentimentos diferentes e podem agregar muito valor à marca se usadas corretamente.

RGB e CMYK: quando usar e qual o correto para impressão?

É claro que você não precisa estudar a fundo esse assunto, justamente por não ser um designer profissional, mas é muito válido reservar um tempinho para entender melhor como isso funciona e pode ser utilizado a seu favor por meio do cartão de visita.

Preocupar-se com as cores é fundamental para um trabalho ficar bem apresentável. Errar na escolha pode deixar sua arte sem vida e sem impacto. Seu cartão precisa se destacar na carteira dos clientes em meio à tantos outros, não é mesmo?

 

escolha-de-cores-cartao-de-visita

 

4. Alinhamento e contraste

Assim como ter noções básicas de cores, é importante entender sobre alinhamento e contraste. Um alinhamento desconexo pode deixar seu cartão muito confuso na hora de ler, assim como a falta de contraste ou o excesso dele.

Vamos pensar juntos: você tem algumas informações e precisa distribuí-las no seu cartão. Aí você começa escrevendo seu nome na esquerda e então colocando seu cargo no outro canto e o telefone centralizado no final. Será que existe algum tipo de conexão entre esses elementos?

É preciso que exista um sentido para estarem posicionados, levando os olhos do leitor a acompanhar as informações na ordem desejada e que passem a impressão de que são complementares.

A melhor maneira de fazer isso é criando uma linha imaginária para que todos fiquem na mesma direção, alinhando-os à esquerda, direita ou no centro. Escolha o sentido que preferir e siga-o em toda a face do seu cartão, assim não correrá o risco de tornar as informações confusas.

O contraste, por sua vez, é um complemento. Já tendo a noção básica das cores, por exemplo, você saberá exatamente quais poderá utilizar e misturar dentro da mesma arte. Cuide para não utilizar demais a técnica e acabar deixando o cartão uma festa de cores! Escolha pontos estratégicos e foque nos elementos importantes.

Podemos utilizar o contraste relacionado às cores, como mencionado acima, mas também aplicar o conceito nas fontes. O ideal é que você escolha no máximo duas fontes para utilizar no seu cartão, de preferência que se contrastem entre si e que de certa forma se complementem.

Uma boa ideia é escolher uma fonte mais fina e outra em negrito, por exemplo. Assim você já define uma hierarquia e ao mesmo tempo traz destaque para algumas informações. Lembre-se de sempre seguir um padrão e alinhar os elementos, para que de alguma forma estejam conectados e dêem personalidade ao seu trabalho!

 

5. Menos é mais: lembre-se disso!

É normal querermos colocar todas as informações possíveis no cartão de visita, mas é preciso um pouco de cautela, já que isso pode comprometer a apresentação do material. Seja objetivo e coloque apenas o necessário, assim você evita que fique uma arte não muito agradável visualmente.

Atente-se à fonte que for usar, a legibilidade e a forma como você pretende posicionar as informações. Tudo precisa estar muito claro e visível para que as informações importantes ganhem destaque. Por destaque entende-se posicionamento estratégico do conteúdo e boa apresentação, nada tem a ver somente com o tamanho da fonte, por exemplo.

 

desenhando-cartao-de-visita

 

6. Procure programas que tem facilidade para usar

Para fazer um cartão de visita você precisará optar por um software de edição, independente de sua complexidade. Teste alguns programas e dê chances mesmo que possam parecer difíceis e profissionais demais.

Um exemplo é o Adobe Photoshop ou o Adobe Illustrator, dois programas profissionais de edição e criação de imagens. Esses são softwares usados por designers, mas podem ser facilmente manuseados por qualquer pessoa com algumas noções de edição.

Com poucos tutoriais é possível adquirir conhecimentos necessários para fazer o básico, mas um básico com qualidade profissional.

Mas se mesmo assim você não tiver nem ideia de como usar programas da Adobe, mesmo sendo ótimas maneiras de produzir sem limitações, é possível optar por programas bem básicos, mas que também fazem o trabalho.

Um exemplo é o Publisher, da Microsoft. Este é um programa que faz parte do pacote Office e que tem como função oferecer recursos e templates necessários para fazer cartas, cartões de visita e flyers, por exemplo.

É claro que este é um programa muito mais básico e limitado se comparado aos softwares da Adobe, mas sem dúvidas são bem menos complexos de utilizar e podem trazer bons resultados dependendo das suas expectativas.

O importante é se familiarizar com algum desses e investir algum tempinho para aprender os comandos básicos e as limitações de cada um. Assim, você saberá exatamente o que esperar e como poderá utilizá-lo a seu favor.

 

7. Templates prontos para customização

Se você optou por utilizar os programas da Adobe, por exemplo, você poderá fazer download gratuito de vetores (que são imagens customizáveis e de alta qualidade) que podem ajudar muito no seu trabalho.

Para você ter uma ideia, existem milhares de templates prontinhos de cartões de visita para baixar. Alguns deles podem ser gratuitos e outros pagos, mas a grande vantagem é que você não terá muito trabalho para criar algo do zero.

Você precisa apenas ter o Photoshop no seu computador, definir o tamanho do arquivo, adicionar os vetores e ir movimentando e mudando as cores dessas imagens prontas. Além de poder excluir e adicionar elementos para deixar ainda mais a sua cara!

Fácil, não é mesmo? Além de ficar com aparência muito profissional, já que muitas vezes são designers que disponibilizam esses arquivos abertos na internet. Dê uma olhada em bancos de imagens ou no Freepik, por exemplo. Sem dúvidas você encontrará algo interessante para utilizar no seu cartão de visita!

 

8. Sites específicos para criar artes online

Se todas as dicas acima sobre vetores e softwares de edição pareceram ser complexas demais para você, então você poderá optar por uma maneira bem descomplicada de fazer seu cartão de visita.

É claro que você não terá toda a liberdade que você teria fazendo com programas específicos de edição, mas de qualquer forma poderá ter um ótimo resultado final! Para isso, existem sites específicos feitos justamente para facilitar nossas vidas, oferecendo diversas opções pré-prontas de banners para mídias sociais, flyers e também cartões de visita.

Um exemplo bem popular é o Canva, que segundo alguns depoimentos do site,  pode ser considerado o programa de design gráfico mais fácil de usar do mundo. Já dá para ter uma ideia que é um site bastante intuitivo, não é mesmo?

Ao entrar no site é só você criar um login e escolher dentre as mais diversas opções de modelos de arquivos e então optar pela que mais lhe agrada. Depois, você poderá alterar imagens, cores, inserir informações e depois salvar em pdf para imprimir.

Então se você estava procurando por uma opção gratuita e que não precisasse de muitos esforços criativos, esta é sem dúvidas uma dica valiosa!

site-para-fazer-cartao-de-visita

 

9. Estilo do material a ser usado

Fazer um cartão de visita profissional significa atentar-se à todos os detalhes. De que adianta um cartão bem feito se a impressão não for de qualidade? É muito importante definir o material que melhor se encaixa às suas necessidades.

Algumas opções que podem dar um charme a mais na sua arte seriam o verniz localizado e a borda arredondada, por exemplo. O verniz localizado é aquela parte que fica em relevo brilhante no papel, geralmente colocada na logo da empresa para dar um toque mais refinado.

A borda arredondada é um questão de gosto. Tudo vai depender do estilo do seu cartão e da forma que você acredita que ficará melhor. O mesmo acontece com as opções de cartão horizontal e vertical. O mais usado é o horizontal, mas o vertical também traz um toque de inovação e criatividade que podem ser interessantes na apresentação!

Outro detalhe importante é a gramatura do papel. Uma dica é escolher uma gramatura um pouco mais grossa, uma vez que o cartão será manuseado e colocado dentro de bolsas e carteiras, o que pode fazê-lo amassar facilmente.

Saiba finalizar e fechar corretamente seu arquivo para produção

 

10. Escolha uma boa gráfica

Depois de todo o trabalho, nada mais justo do que produzi-lo com qualidade. Não vá na primeira gráfica que te ofereceu um preço de banana, pois pode ser uma furada! Pesquise bem qual oferecerá um bom custo-benefício e se possível procure por boas recomendações.

Se você não tem tempo de ir pessoalmente em algumas gráficas da cidade, que tal optar por gráficas online? Você poderá ficar no conforto da sua casa ou até mesmo receber o material no escritório.

Lembre-se de sempre pedir uma prova, pois aí você terá certeza de como virá todo o lote de cartões!

Por que escolher uma gráfica online?

 

É hora de criar!

Agora que você já sabe as principais dicas para fazer um cartão de visita profissional sem ser designer, chegou a hora de colocar a mão na massa!

Nunca esqueça de pesquisar referências e estar por dentro das tendências, assim o seu cartão não ficará com cara de ultrapassado. Reavalie o que você tem em mente e confira se as ideias realmente condizem com o perfil da empresa.

Se dê a liberdade de testar os programas antes de optar por opções prontas na internet… você poderá se surpreender com a infinidade de coisas que poderá criar! Teste, apague, comece de novo e assim por diante… até você estar satisfeito com o que está vendo.

Depois de tudo, mostre aos seus colegas de trabalho e amigos. Pergunte à opinião de todos e poderá ter alguns novos insights para melhorar ainda mais!

AnteriorPróximo