papira

Quais são e por que personalizar o material gráfico da sua empresa

Quais são e por que personalizar o material gráfico da sua empresa?

Estamos vivendo em um momento de explosão do empreendedorismo, inovação e criação de novos negócios. Mas apesar de todas as estratégias digitais, personalizar o material gráfico da sua empresa continua sendo indispensável para a divulgação.

 

O material gráfico é composto por alguns recursos de impressão utilizados pelas empresas para divulgar seu negócio para o seu público-alvo, a tornando-mais evidente no mercado.

 

Os principais tipos de materiais gráficos são o cartão de visita, banners, folders, pastas e papel timbrado.

 

Mas não basta apenas ter alguns tipos de material gráfico disponíveis para uso na sua empresa se a qualidade não for realmente boa. Afinal, eles são uma forma de propagar o nome da sua empresa no mercado.

 

Um cartão de visita, por exemplo, é um dos primeiros contatos que uma prospect tem com a empresa. Não seria nada bom se o seu cartão tivesse uma impressão ruim em um material de qualidade inferior.

 

Como você já pode ver, é fundamental investir na qualidade do material gráfico do seu negócio. Esse investimento deve ser feito tanto para design, para que a identidade visual da sua empresa passe exatamente o que você pensou quanto para o material em si, garantindo uma boa qualidade de impressão.

 

Quer saber quais são os principais materiais gráficos e a importância de cada um deles ser personalizados? Continue a leitura deste artigo!

 

Cartão de visitas

 

Quais são e por que personalizar o material gráfico da sua empresa?

 

O cartão de visita, muito provavelmente, é o primeiro material gráfico que um profissional produz para divulgar os serviços ou produtos, seja ele um consultor ou proprietário de alguma empresa. Por isso, ele deve ser personalizado e transmitir a essência do meu negócio.

 

É por meio dele que você vai estabelecer os primeiros contatos profissionais por meio de abordagens em eventos, feiras e reuniões. Portanto, ele deve estar sempre em mãos, com fácil acesso, seja na carteira ou na bolsa, afinal, nunca se sabe quando uma oportunidade pode surgir.

 

Mas imagine só a situação: você é apresentado a uma pessoa que está justamente precisando dos seu serviços e, após um bate-papo, ela pede seu cartão para entrar em contato com você no futuro.

 

Que tipo de cartão você quer entregar a um novo cliente: um material gráfico improvisado ou um cartão profissional, de boa qualidade e com a sua marca, totalmente personalizado? É claro que é a segunda opção!

 

Por isso, vale a pena investir em um belo cartão de visita, com um papel e corte adequado, além de uma logomarca e identidade visual que transmita fielmente a essência do seu negócio aos seus potenciais clientes.

 

Afinal, você quer causar uma boa primeira impressão e ser lembrado de forma positiva, não é mesmo? E o cartão de visita é o material gráfico fundamental para isso!

 

Banners e faixas

 

Quais são e por que personalizar o material gráfico da sua empresa?

 

A melhor forma de chamar a atenção do seu público-alvo é aparecendo, se fazendo ser percebido de algum forma. Como fazer isso de forma estratégica? Invista em banners e faixas para divulgar a sua empresa!

 

Investir nesse tipo de material gráfico é fundamental para aumentar as chances de sua marca ser notada. Opte por locais estratégicos, como lojas parceiras ou em eventos e exposições relacionadas ao seu mercado.

 

Mas não se esqueça que, de nada adianta ter onde expor se o seu material de divulgação não for profissional, elegante e de qualidade, assim como a sua marca. Afinal, lembre-se de que todo o material gráfico da sua empresa passa a primeira impressão sobre ela ao público.

 

Por isso personalize seus banners e folders de acordo com a identidade visual e estratégia comercial da sua empresa e, claro, conte com uma gráfica de confiança para a produção.

 

Pastas

 

Quais são e por que personalizar o material gráfico da sua empresa?

 

As pastas também são um tipo de material gráfico muito importante para qualquer empresa, independente do ramo de atuação. Elas são necessárias para enviar documentos, apresentações, propostas e trabalhos, ou seja, materiais que na maioria das vezes vão para as mãos de prospects ou clientes.

 

As pastas utilizadas por empresa são, em sua maioria, em formato “L” e com bolso. E são feitas de material cartonado e resistente para armazenar diversas folhas.

 

Para garantir a qualidade do corte, fixação do bolso e intensidade correta das cores, realize o pedido das pastas em gráficas reconhecidas pelo comprometimento com o nível de entrega.

 

Como falamos, as pastas com a marca do seu negócio estarão nas mãos de seus futuros parceiros e clientes. Não perca a oportunidade de causar uma boa impressão!

 

Papel timbrado

 

Quais são e por que personalizar o material gráfico da sua empresa?

 

O papel timbrado, definitivamente, é o material gráfico mais utilizado, principalmente se a sua empresa atuar em ramos corporativos ou prestar serviços mais burocráticos ou formais.

 

Uma empresa que possui um papel timbrado personalizado passa muito mais credibilidade entre seus parceiros, fornecedores, clientes e prospects. Pode parecer um detalhe, mas quando recebemos um conteúdo em um papel timbrado sentimos que a empresa está preocupada com a sua imagem e reputação, logo, se trata de uma empresa séria.

 

Apesar do grande volume, do ramo e tamanho do escritório pode ser de centenas de folhas. Mas, não deixe de focar na qualidade do papel timbrado. Apesar de ser um material visto como corriqueiro, ele também é uma representação da sua marca.

 

Garanta qualidade no material do papel timbrado e bons preços. Conte uma uma gráfica reconhecida para produzir em volume, sem prejudicar a qualidade da impressão.

 

Esses são os principais materiais gráficos que toda empresa deve ter para passar uma imagem mais profissional e séria aos seus clientes e público-alvo. E claro, ser sempre lembrada pela sua credibilidade e identidade visual marcante.

 

Agora, você já conhece um pouco mais sobre a importância da sua empresa ter o próprio material gráfico personalizado.

 

Quer saber mais sobre como melhorar o posicionamento da sua empresa no mercado e profissionalizar o seu negócio? Siga nossos perfis nas redes sociais e acompanhe mais conteúdos como este.

 

Qual melhor tipo de papel para cartão de visita?

O cartão de visitas é um material essencial para qualquer profissional e negócio, pois muitas vezes é ele o primeiro contato do cliente com a marca – e é bom causar uma boa impressão, não é? Por isso, ter capricho e transmitir credibilidade e confiança através do cartão é uma estratégia infalível. E são diversos os fatores que influenciam para que esse objetivo seja alcançado, não apenas a arte e design no cartão.

Um dos mais importantes, de longe, é a qualidade do acabamento. Por isso, separamos algumas opções para que você entenda melhor sobre o assunto e saiba qual é o melhor tipo de papel para cartão de visita. São eles:

  • Supremo 300G;
  • Couchê 300G;
  • Couchê 250G;
  • Reciclato 240G;

Mas, enfim, qual é o melhor? Na verdade, o melhor tipo de papel para cartão de visita depende do caso, tendo em vista que cada um deles possui suas próprias especificidades. Um bom primeiro passo para escolher o mais indicado para você é saber mais sobre a qualidade e consistência dos materiais, a gramatura – quanto menor for, mais mole será o papel.

O próximo passo é escolher o tipo do papel, por isso vamos falar sobre as vantagens de cada um dos que citamos lá em cima. Confira:

Papel Couchê

O papel couchê é um dos mais utilizados. Isso porque ele apresenta uma maior durabilidade, tanto no material em si quanto nas cores. Inclusive, as cores no papel couchê são mais vivas – ótimo para os casos em que o cartão possui um layout mais dinâmico e colorido. Além de ter um ótimo acabamento, ele é o que possui maior variação de gramatura, então consegue se adaptar para diferentes necessidades.

Papel Reciclato

Como o nome já dá indícios, o papel reciclato é uma opção mais ecológica, porque é feito a partir de papel reciclado, e é considerado pelas empresas que se preocupam ou se envolvem com a preservação da natureza o melhor tipo de papel para cartão de visita, tornando-se um verdadeiro diferencial para a marca.

Papel Supremo

Esse tipo de papel possui características bem distintas dos outros, que podem ser muito bem aproveitadas para deixar o cartão mais atraente. O papel supremo tem seus dois lados praticamente iguais o que permite impressão de ambos os lados: frente e verso. Além disso, ele apresenta ainda mais duas excelentes características: ele é muito mais firme e resistente que o papel couchê, pois mesmo em gramaturas iguais, o papel supremo apresenta maior “firmeza”.

Você deve ter entendido mais sobre o que falamos lá em cima sobre o melhor tipo de papel para cartão de visita, que vai variar e depender das suas necessidades – o importante é aliar a qualidade do papel com a criação de um material bem feito que agrade seus clientes e consiga transmitir a personalidade do seu negócio. E agora que você já entendeu tudo sobre as possibilidades de cada opção, faça o pedido do seu cartão de visita.

 

Fontes: http://blog.wedologos.com.br/cartao-de-visita/tipo-de-papel-para-cartao-de-visita-imprimir/

http://www.mapel.com.br/entenda-varias-gramaturas-de-papel/

http://blog.valejet.com/melhores-papeis-para-cada-tipo-de-impressao/

O que é gramatura? E quais as mais usuais?

Na hora de escolher as especificações do material a ser impresso, é essencial levar em consideração os diversos aspectos do papel. Por isso é tão importante saber o que é gramatura para escolher a mais indicada. A gramatura é a densidade e o peso do papel, e é através dela que conseguimos identificar qual material possui mais qualidade, resistência e, por fim, o mais indicado para cada tipo de peça gráfica, seja cartão de visita, folder, revista, entre outros.

Gramatura maior ou menor

Ela funciona da seguinte maneira: quanto maior o número da gramatura, mais grossa será sua espessura, e quanto menor o número, mais macio e mole terá o seu aspecto. Elas variam geralmente entre 90g e 300g, e as mais utilizadas são de 90g, 115g, 120g, 150g, 170g, 250g e  300g. Logo mais vamos falar sobre algumas delas e em quais situações elas se aplicam melhor.

Como falamos no começo do texto, ter em mente o que é gramatura interfere diretamente no acabamento da peça. E não é só isso. A escolha da gramatura também é importante porque muda totalmente a percepção que as pessoas têm do material. Uma ótima maneira de entender é observando o cartão de visita: utilizar uma gramatura alta deixa o papel mais resistente, passando a sensação de mais credibilidade e confiança no serviço que o negócio oferece. Mas isso não quer dizer que todo cartão de visita ou material impresso deva ter a gramatura mais alta possível – isso depende muito da sua função e do objetivo. Vamos explicar o porquê.

Objetivo do material

A escolha da gramatura também deve levar em conta o objetivo do material. Para um flyer que tenha alguma dobra, por exemplo, é mais indicado utilizar uma gramatura mais baixa, como 150g, pois ela é mais maleável e macia. Um cartão de visita pode igualmente ter uma gramatura menor, dependendo da situação, como um cartão que tem o intuito de ser dobrado ou cortado – depende da sua criatividade!

Já nos casos em que a impressão é frente e verso, é recomendável utilizar uma gramatura intermediária, uma vez que a espessura pode ficar muito baixa e deixar o material translúcido, atrapalhando a leitura e identificação das imagens. Por isso é tão importante buscar saber o que é gramatura para não cometer erros e acabar jogando dinheiro fora. Agora, vamos mostrar para você os usos mais indicados para cada gramatura.

Usos mais indicados para cada gramatura

90g a 120g: são mais comuns em panfletos, receituários e papéis timbrados;

90g a 170g: podem ser usadas em flyers, capas de revista, folders e etc. Têm espessura boa para serem dobrados e evitar problemas de leitura, como citamos lá em cima;

210g a 300g: é a gramatura mais utilizada para cartões de visita.

Agora que você sabe o que é gramatura e qual utilizar em seus materiais, conheça os produtos da Papira e comece já a imprimir os seus próprios materiais sem erro.

Fontes:

https://www.saxoprint.co.uk/blog/all-about-paper-grammage/ http://www.ifd.com.br/publicidade-e-propaganda/qual-e-melhor-gramatura-de-papel-para-o-meu-impresso/

http://www.createandcraft.com/gb/paper-and-card-weights

Como saber se uma imagem está em boa qualidade para impressão?

Existe uma história de terror que é muito comum para quem gosta de guardar momentos em forma de fotografias. E ela aparece, geralmente, no momento em que estamos com as mãos mais atadas: é a falta de qualidade de impressão.

É muito comum nos depararmos com registros que parecem estar perfeitos em meios digitais – como celulares, TVs e computadores – mas que, quando colocados no papel, perdem a perfeição e o brilho de quando eram vistos antes. E o mesmo vale para outros arquivos que pretendem ser impressos, como cartazes, pôsteres e derivados. Por tal motivo, é de grande importância saber qual qualidade de imagem é boa para impressão.

E como saber isso?

O primeiro ponto que precisamos entender para poder descobrir qual qualidade de imagem é boa para impressão é o tamanho que terá o impresso final. Isso será de extrema importância para que o arquivo produzido possa ter as dimensões e especificações necessárias para ser produzido da forma que você precisa.

Após ter isso em mente, precisamos saber que a resolução de uma imagem impressa é medida através de DPIs (dots per inch, ou pontos por polegada, em português). Essa medida informa quantos pontos de cor estão contidos em uma polegada do arquivo. Quanto mais pontos, mais qualidade na impressão. O padrão, para impressos, é de 300DPI.

Então, para saber qual a resolução de imagem necessária que o trabalho final seja satisfatório, é preciso fazer uma pequena continha:

Largura x Altura

Largura: (medida em centímetros / 1polegada) * DPI

Altura: (medida em centímetros / 1polegada) * DPI

Exemplo: Se a largura for de 20 centímetros e a altura for de 26 centímetros, teremos:

Resolução: 2362 x 3071 pixels

Largura: (20 / 2,54) * 300 = 2362,2

Altura: (26 / 2,54) * 300 = 3070,8

Tem como simplificar?

Claro que você não precisa desenvolver essa conta todo o tempo. Nos principais softwares, as conversões em arquivos, com base nos DPIs e medidas, são automáticas. Mas, caso precise muito de algum lugar para consultar, confira abaixo alguns dos valores mais comuns utilizados.

Quais outros fatores importam na qualidade da impressão?

Claro que, além da resolução do arquivo que está sendo produzido, outros fatores são decisivos na hora de observar a qualidade da impressão. É importante estar muito atento ao tipo de papel, ou superfície, em que o trabalho está sendo feito, e identificar qual é o melhor para cada tipo de serviço. Existem várias alternativas, como papéis fotográficos, couché, e outros. Cada um é essencial para um tipo de impressão.

Outro fator importante para fazer com que a impressão do material seja de qualidade é a cor da imagem, que precisa estar preparada e ser pensada especialmente para a finalidade a qual está sendo criada.

Se todos esses pontos foram observados, não existirão problemas na hora de mandar rodar na gráfica. Peça já a produção do seu material e tenha qualidade garantida!

Fontes:

https://helpx.adobe.com/br/photoshop/using/image-size-resolution.html

https://chocoladesign.com/entenda-o-que-%C3%A9-resolu%C3%A7%C3%A3o-de-imagem-2f62147ea1a7

http://www.desenhoonline.com/site/qual-a-resolucao-adequada-para-uma-imagem-que-sera-impressa-2/

 

Saiba como fazer papel timbrado de empresa e impressione seus clientes

O papel timbrado é um dos itens básicos de papelaria nas empresas. Apresentar um orçamento, proposta comercial ou uma carta formal nesse material ao invés de um papel sem nenhum detalhe pode fazer toda a diferença. Quer saber como fazer papel timbrado de empresa? Veja as dicas que preparamos nesse post!

Crie um papel timbrado com a identidade da sua empresa

O objetivo do papel timbrado é dar um aspecto mais profissional e uma boa apresentação visual para mensagem que estará ali.

Como é um material simples de ser criado, mesmo que você não conte com a ajuda de um designer profissional, é possível conseguir criar um layout interessante e harmonioso. Lembre-se de que é importante manter no papel timbrado a personalidade da sua empresa e mantê-lo de acordo com a identidade visual dos outros materiais.

Trabalhe com o logo e com as cores da empresa para manter um padrão e conseguir um aspecto profissional para esse material gráfico.


@Pinterest

Utilize ferramentas online para criação

Existem diversos programas de criação online que possibilitam a confecção de materiais assim com base em modelos prontos, como é o caso do Canva.

Não se esqueça do objetivo do papel timbrado e mantenha a área de escrita livre. Utilize no máximo uma imagem ou marca d’água discreta no fundo e num tom discreto. Deixe para explorar as cores e detalhes no rodapé, cabeçalho e elementos de destaque.

10 dicas para criar flyers profissionais: fontes, cores, formatos e muito mais!

Escolha uma fonte de fácil leitura e cheque de a cor da fonte está com destaque do fundo desses espaços.

Inclua as informações de contato da sua empresa, como endereço, telefone e e-mail, para que quem receba o documento em papel timbrado possa localizar facilmente.

Atente-se ao tamanho do papel utilizado para impressão para fechar o arquivo com as medidas certas. Para uma impressão ainda mais profissional procure uma gráfica para manter as cores padronizadas e escolhe um papel mais encorpado do que o sulfite utilizado na impressora do escritório.

PDF para impressão: como fechar seu arquivo

Não esqueça de distribuir o arquivo entre os colaboradores da sua empresa para manter a comunicação sempre padrão e utilizando o mesmo modelo de forma consistente.

 

Já sabe como criar um papel timbrado para a sua empresa? Então mãos à obra! E nos conte nos comentários para que outro material você quer algumas dicas!

 

marcador-de-página-criativo

Inove nos brindes da sua empresa com um marcador de página criativo!

Distribuir itens promocionais como brindes para seus clientes é uma prática ótima para divulgar a sua marca e manter a presença dela durante todo o ano. Se o brinde personalizado for prático e usável então, a distribuição faz ainda mais sentido. Então que tal preparar um marcador de página criativo e fazer a sua marca ser lembrada?

Brindes simples e de baixo custo, os marcadores de página são uma forma diferente de estar no dia a dia dos seus clientes, colaboradores e parceiros.

No post de hoje trazemos várias dicas para a criação desse material, assim como todo o passo a passo para transformar a arte em um material impresso, confira!

O design faz toda diferença para um marcador de página criativo

Uma arte elaborada e criativa trará destaque e chamará atenção para o seu material.

Se estiver contando com o trabalho de um profissional de design, oriente-o sobre qual mensagem você quer transmitir com esse brinde. Seja qual for o material a ser desenvolvido, não se esqueça que ele representa a marca da sua empresa e precisa transparecer a identidade da sua marca.

Um marcador de página muito simples, com um fundo chapado e apenas a aplicação do logo e nome da sua empresa tem grandes chances de passar despercebido e ser descartado.

Pense nos detalhes do seu marcador de página criativo para que ele seja realmente um material bem especial e que quem o receba tenha vontade de guardá-lo e, mais do que isso, utilizá-lo no dia a dia.

Seja criativo!

Lembre-se que esse material normalmente será utilizado para marcar as páginas de um livro, revista ou agenda, que costumam ter páginas com cores claras e discretas. Então, abuse das cores e imagens do seu marcador de páginas, para que ele contraste com as outras páginas e chame a atenção.

 
@Pinterest

O material também faz toda a diferença! As possibilidades são infinitas e o marcador pode ser confeccionado em vários materiais: papéis, metal, acrílico, madeira… Pense no setor de atuação da sua empresa para definir um material fora do convencional.

Invista em acabamentos especiais.

Quer deixar o seu marcador de páginas criativo ainda mais especial? Uma opção interessante pode ser investir em acabamentos especiais como aplicação de verniz UV. Essa técnica pode ser utilizada com aplicação no material todo ou de forma localizada e também nas opções de acabamento com brilho ou fosco.

Não fique preso ao formato tradicional.

Investir em um formato inusitado irá diferenciar ainda mais o marcador de páginas da sua marca. Com os cortes especiais você pode desenvolver um formato fora do padrão ou até mesmo criar espaços vazados em algum ponto específico do material.

 
@Pinterest

Essas são ferramentas que irão adicionar textura e informação de design ao seu material, além de deixá-lo com um ar muito mais sofisticado e mostrar que a sua empresa se preocupa com os detalhes do brinde que está distribuindo.

como-indicar-um-corte-especial

Passo a passo para a impressão do seu marcador

Depois de pronta a arte, chegou a hora de mandar o seu marcador de página para a produção com a gráfica escolhida.

Alguns pontos precisam ser determinados nessa etapa, como o tipo de papel para a impressão e a quantidade a ser produzida. Formato, corte e acabamentos especiais também precisam estar claros para a gráfica que realizará a impressão.

É importante sinalizar no arquivo todos esses detalhes, para que erros não acontecem na impressão. Se atentar ao fechamento do arquivo e no formato a ser enviado para a gráfica também é importantíssimo para que tudo saia dentro do previsto.

As gráficas normalmente solicitam aos clientes arquivos fechados em .pdf, para assegurar que nenhuma distorção aconteça na impressão dos materiais.

saiba-finalizar-e-fechar-corretamente-seu-arquivo-para-producao

 

Gostou dessas dicas para criar um marcador de páginas criativo para divulgar a sua empresa? Nos conte que outras dicas você gostaria de ver aqui no blog da Papira!

 

dicas-para-convite

5 dicas para convite para acertar em cheio!

Um convite está sempre atrelado a um momento marcante e especial, seja um casamento, aniversário, chá de bebê, batismo, evento corporativo… Ele é uma parte importante da festa, pois é o primeiro contato que seus convidados terão com o evento.

Preparamos um post recheado com várias dicas para o desenvolvimento do convite, desde o layout e criação, passando pelos materiais ideias e as melhores formas de distribuição e entrega.

Deixe o convite com a cara do seu evento

A primeira coisa a se pensar na hora de desenvolver o convite para a sua festa é ter em mente que ele precisa ter a ver com o estilo e proposta da celebração. O convite pode ser clássico, divertido, ousado… O mais importante é que ele deve transmitir o que os convidados irão encontrar.

A sua festa será temática? Então uma ótima ideia pode ser já começar a trabalhar o tema no convite. Estamos falando de um casamento mais tradicional? Vale seguir essa linha no convite também.

Pense em tudo que você quer que esteja presente no dia da festa e comece a explorar isso nos convites!

 
@Pinterest

Pesquise referências para o seu convite!

Depois de saber qual será o estilo e o tema do seu convite, vale a pena passar um tempo pesquisando referências para coletar ideias.

A internet é uma fonte de informação incrível e que vai te ajudar. O Pinterest é uma ótima ferramenta para busca de referências. Basta fazer uma conta simple e pronto! Você vai encontrar muitas imagens, ideias e dicas para convite, podendo fazer inclusive buscas mais específicas com o tema e estilo da sua festa.

 
@Pinterest

Se você está contando com o suporte de uma empresa para organizar a sua festa, os profissionais também são uma ótima fonte de ideias, uma vez que já realizaram muitas outras cerimônias.

Converse também com gráficas especializadas na produção desse tipo de material, eles também poderão facilitar a escolha dos modelos de convite, bem como explicar os materiais, tipos de papéis, formatos, acabamentos e detalhes disponíveis no mercado para confecção do seu convite.

A pesquisa vai ajudar muito a dar um norte para a sua proposta e entregar várias dicas para o seu convite.

Não se esqueça da finalidade do convite

Você tem liberdade de pensar no melhor formato e soltar a criatividade na hora de definir todos os detalhes do convite, mas alguns padrões precisam ser seguidos, principalmente em relação às informações.

Um convite é desenvolvido e tem como principal objetivo contar para os seus convidados sobre o seu evento e fazer com que eles se sintam parte daquele momento especial.

As informações devem estar claras e com fácil leitura. Não se esqueça de incluir todos os dados necessários para que seus convidados não fiquem com nenhuma dúvida. Faça um check list do que não pode faltar: data, horário, local, quem está convidando, se existe alguma regra de vestimenta que os convidados devem seguir.

Na hora de fazer a arte do convite, tome cuidado com a diagramação e com a distribuição das informações para deixar tudo legível e com espaços de respiro entre os elementos, para deixar o convite leve.

Pense na quantidade antes da produção

Arte pronta e detalhes escolhidos, chegou a hora de mandar os convites para a gráfica.

O mais automático é pensar em imprimir a quantidade de convites que serão distribuídos entre os convidados, mas cuidado! É interessante produzir sempre uma quantidade extra, para imprevistos. Pode ser que você tenha esquecido de incluir alguém na lista ou decidir incluir mais alguns convidados depois do convite já pronto.

img-grafica-online

Vale lembrar também que o envio de convites não precisa ser individual, dependendo da proposta do seu evento. Para festas de aniversários, casamentos, chás de bebê e batizado, por exemplo, você pode enviar apenas um convite para toda uma família, estendendo o convite entre os membros.

Planeje a entrega dos convites com antecedência

Qualquer que seja o evento, ele é um momento único e você não quer que seus convidados deixem de comparecer, certo? Portanto, pensar na entrega destes convites é tão importante quanto tê-los prontos.

Avalie a melhor data para a distribuição e o formato de acordo com a proposta do seus evento. Eventos mais íntimos pedem que os convites sejam entregues pessoalmente.

Na dúvida sobre a antecedência, convide formalmente um mês antes. Esse é um tempo interessante para que os seus convidados possam se preparar, principalmente se for obrigatório fazer a confirmação de presença  – permita que seus convidados possam reservar a data para fazer parte desse dia tão especial!

 

Gostou dessas dicas para convite? Compartilhe esse post com alguém que está preparando um evento!

flyers-e-panfletos-para-eventos

Flyers e panfletos para eventos: acerte na divulgação

Para a comunicação de um evento, é fundamental investir na divulgação em larga escala. Uma ótima opção para esse tipo de estratégia é a produção e distribuição de materiais impressos. Flyers e panfletos para eventos precisam de atenção redobrada na hora da criação do material, afinal de contas, são eles que vão passar a imagem do seu evento para quem os receber.

Mesmo com toda a inovação em comunicação e com os novos canais de contato que surgem todos os dias entre os clientes e as empresas, a distribuição de flyers ainda é uma das mais tradicionais e mais utilizadas ações de marketing. Isso acontece pois essa é uma forma de baixo custo e alto impacto, se for planejada de forma inteligente.

A chamada panfletagem é muito procurada por empresas de diversos ramos e é uma opção muito interessante para comunicar promoções, lançamentos de produtos e, claro, para a divulgação de festas e eventos.

Flyers e panfletos são materiais gráficos de distribuição em massa e devem ter uma comunicação simples, objetiva e direta. Para que sejam eficientes no seu propósito, algumas estratégias e orientações devem ser pensadas com cuidado.

Continue lendo o post de hoje no blog para ter flyers e panfletos de divulgação de eventos assertivos!

 

Crie um layout que chame a atenção

Você não quer que o seu material acabe no lixo junto com outros antes mesmo de passar a sua mensagem, certo? Andando pelas ruas somos bombardeados de informações, publicidades e divulgações promocionais. Portanto, desenvolva com cuidado a arte do seu flyer ou panfleto, para que ele não seja apenas mais um entre tantos.

10 dicas para criar flyers profissionais: fontes, cores, formatos e muito mais!

Chamar a atenção para o seu material é fundamental. Pense no público do seu evento e que irá receber o flyer. O que chamaria a atenção dessas pessoas? O que despertaria o interesse deles em ir até lá?

Vale a pena explorar cores, elementos gráficos e imagens para impactar o seu público. Use cores vivas sem abrir mão de um layout agradável aos olhos. Não esqueça de deixar espaços vazios para respiro.

Use os elementos para que num primeiro impacto a pessoa possa identificar sobre o que será o seu evento, qual o tema (música, filme, circo, artes plásticas, design, literatura, teatro, dança, etc.). Dessa forma, as chances de impactar positivamente e despertar interesse de quem recebe o material são maiores.

flyers-e-panfletos-para-eventos1@Pinterest

 

Inclua as informações com bom senso

Depois de impactar as pessoas com a cara do seu flyer, com os elementos visuais, a próxima oportunidade de fisgar o seu público é através do texto. Inclua no material uma chamada curta e destacada. A chamada precisa, ao mesmo tempo, informar e atrair a atenção de quem está com o material nas mãos.

Foque em mensagens de leitura rápida e, claro, não se esqueça de adicionar as informações sobre o seu evento (data, hora, local, como funcionará a entrada, como será o evento, se existe um valor para a entrada, onde os ingressos podem ser comprados).

É fundamental também deixar algum contato para que quem queira mais informações possa ter um canal de comunicação direto com a organização. De preferência inclua na arte pelo menos um contato de telefone e um contato online.

Se fizer sentido, divulgue também as redes sociais de quem está organizando o evento, assim as pessoas impactadas pela divulgação podem interagir com a página, além de já entrarem em contato com mais uma forma de divulgação para as próximas datas e eventos.

Por outro lado, não inclua informações demais na arte, para não deixar o material confuso ou cansativo. Converse com o profissional de design gráfico ou criação que está desenvolvendo esse material para você, para passar o que você quer transmitir.

Se você mesmo está desenvolvendo esse material para o seu evento, uma boa opção pode ser utilizar ferramentas online que já disponibilizam modelos e padrões para esse tipo de material.

Essa pode ser uma ajuda interessante principalmente para acertar as proporções, tamanho das fontes para não comprometer a leitura e incluir detalhes de design que fazem o material parecer mais profissional.

É interessante também utilizar fotos ou ilustrações produzidas por profissionais contratados pela sua empresa, para que o material seja único e tenha uma arte mais exclusiva. Porém, se esse tipo de investimento não for possível, existem muitas opções em banco de imagens gratuitos, para que você possa fazer uma busca e encontrar algum elemento visual, imagem ou fotografia que se encaixe a proposta do flyer da sua festa ou evento.

flyers-e-panfletos-para-eventos2@Pinterest

 

Ofereça alguma vantagem no flyer ou panfleto do seu evento

Uma forma de garantir com que seu flyer seja lido e seu evento seja considerado pelo seu público é incluir alguma vantagem para quem o está recebendo.

Se possível, ofereça algum tipo de desconto, vantagem ou diferencial na divulgação da sua data especial.

Lembre-se de que a última coisa lida será a que vai ficar na cabeça de quem recebeu o material. Então, oferecer essa vantagem na parte inferior do panfleto pode ser uma boa estratégia, seguida de informações de contato e endereço de onde o evento irá acontecer.

Antes de fechar o arquivo e enviar para a gráfica que fará a produção, não se esqueça de revisar o documento e checar que todas as informações estão corretas, afinal, um único dado errado anula todo o trabalho de divulgação e o material produzido terá que ir para o lixo e uma nova impressão corrigida será necessária.

Confira também se as cores utilizadas não estão atrapalhando a leitura do texto e se as imagens utilizadas estão em alta qualidade.

 

Invista em um papel de qualidade para a produção

Por mais que esse seja um material de rápido impacto e que normalmente é produzido em alta tiragem, não deixe de investir em um papel de qualidade e em uma boa gramatura, para deixar seu flyer mais robusto e passar uma imagem positiva do seu evento e marca.

Converse com a gráfica escolhida para a produção para conhecer os tipos de papel que podem ser escolhidos para essa demanda.

Normalmente para esse tipo de material gráfico a melhor opção de papel é o couchê, que pode ser encontrado nas versões com e sem brilho e que confere ao flyer um ar de sofisticação e de qualidade.

 

Desenhe a estratégia da distribuição

Flyers e panfletos atrativos de nada servem se não chegarem ao público certo.

Estabeleça uma estratégia de distribuição eficiente para que a entrega do seu material seja um sucesso e seu evento seja muito bem divulgado.

Primeiro é preciso entender onde está o seu público – é aí que você deve concentrar a distribuição do seu material impresso. Depois de definido o perfil e hábitos do público, fica mais fácil pensar nos locais de ação de distribuição.

Locais de aglomeração costumam funcionar muito bem para esses casos. Novamente pense no público que vai querer ir ao seu evento e mapeie os locais de distribuição: saída de outros eventos, escolas, faculdades, centros comerciais e saída de shoppings, centro da cidade, distribuição no trânsito…

Outra opção interessante é buscar parceiros que interagem com o mesmo público que o seu, seja a divulgação através de algum estabelecimento ou mesmo outros eventos similares. Mas cuidado ao escolher os parceiros, pois a imagem do parceiro pode passar para a imagem do seu evento. Portanto busque opções que já estabeleceram uma relação de confiança com o seu público e que ofereçam uma boa experiência para quem está em contato com o estabelecimento ou serviço oferecido.

Além disso, vale pensar também no horário de distribuição. Fins de tarde e outros horários de pico são mais tumultuados e as pessoas estão com mais pressa e cansadas, com uma propensão menor de receber o seu material e prestar atenção na sua mensagem.

Existem muitas empresas especializadas nesse tipo de serviço, com pessoas que já estão acostumadas no trato com o público e com a distribuição de flyers e panfletos para eventos. Investir na contratação de empresas assim pode ser interessante para que o serviço seja realizado da melhor forma possível.

Além dos locais escolhidos para a distribuição, é preciso pensar também na quantidade de materiais impressos que serão produzidos para essas ações. Pense no tipo e tamanho do evento, para determinar se a panfletagem será mais ampla e abrangente ou não.

 

Gostou das nossas dicas para produção e distribuição de flyers e panfletos para eventos? Então compartilhe esse post com os seus contatos!

Revistas: como o material pode fazer diferença

Um dos itens gráficos mais tradicionais e conhecidos é a revista. Seja para entretenimento, informação, sobre algum setor específico ou até mesmo as institucionais e corporativas, as revistas ainda têm o seu espaço no mundo editorial.

Milhares de títulos são produzidos nacionalmente, com edições mensais e semanais, sem contar as revistas internacionais que são muito consumidas e procuradas pelo público brasileiro e que podem ser encontradas nas bancas e livrarias em toda esquina. A variedade é imensa!

Entre tantas tiragens e opções diferentes, como fazer então para que a sua revista impressa se destaque aos olhos dos leitores?

O conteúdo da sua revista sempre vai ser o ponto mais relevante

A compra de uma revista, seja ela impressa ou online, sempre vai estar atrelada ao que o material oferece ao leitor. O que de interessante ou relevante para o público a sua revista pode apresentar? Esse é o ponto mais importante quando pensamos no desenvolvimento de um material como esse.

É o conteúdo que vai fisgar o seu leitor e fazer com que ele se transforme em alguém que compra sempre a sua revista. É o conteúdo que encanta e cria conexão com quem está com a revista nas mãos.

Hoje, com tantas fontes de informação, principalmente de forma online, é essa conexão e identificação que o leitor tem com o conteúdo das revistas que garante que as mesmas ainda sejam produzidas e distribuídas em larga escala.

Pense muito bem no público, no que seria interessante para ele e conte com o trabalho de profissionais qualificados para a produção do conteúdo editorial da revista.

Uma boa apresentação também conta muito!

Por outro lado, a apresentação do material também é extremamente importante. É muito difícil uma revista com um bom conteúdo fazer sucesso se tiver uma apresentação ruim.

Pense em uma pessoa que terá o primeiro contato com o seu material. Ela ainda não tem conhecimento sobre o conteúdo disponibilizado, então como chamar a atenção? Uma opção é investir em um design assertivo, novamente pensando no seu público. E pelo que ele se interessaria, visualmente falando, num primeiro contato.

Uma arte de capa bem trabalhada pode ser a chave do sucesso para prender a atenção. Deixar claro numa primeira imagem sobre o que a sua revista aborda também é uma ótima estratégia para atingir as pessoas certas e gerar interesse para o conteúdo que as páginas trarão.

revistas-como-o-material-pode-fazer-diferença1@Pinterest

Diferentes temáticas e abordagens pedem diferentes elementos visuais. Muitas revistas voltadas para os designers e ilustradores, por exemplo, investem em uma imagem visual muito forte na capa, para que esse público se identifique com a revista e busque referências nela. Já as revistas de moda precisam trabalhar uma fotografia impactante e com informação atualizada.

Independente do segmento ou do tema trabalhado, outra opção muito interessante é investir em algum diferencial no material de produção da revista. Um material diferenciado deixa o projeto muito mais interessante, sofisticado e atraente.

Hoje as gráficas oferecem diversas soluções para fugir do padrão e abusar da criatividade nas capas e no miolo das revistas!

Como destacar a minha revista através dos materiais de produção?

Uma opção para chamar a atenção para uma revista, em relação às outras, pode ser investir em um papel diferente, tanto para a capa quanto para o miolo (em todo o material ou em apenas algumas páginas específicas, em um caderno especial, por exemplo). Existem muitas opções no mercado gráfico, com diferentes acabamentos e texturas.

revistas-como-o-material-pode-fazer-diferenca2@Pinterest

Investir em acabamentos é uma forma de adicionar qualidade e sofisticação à sua revista. O Soft Touch, por exemplo, é um tipo de acabamento, com uma laminação fosca aplicada em cima do papel e é uma tendência no mercado editorial, principalmente para capas, uma vez que adiciona uma textura aveludada ao material.

A aplicação de verniz UV também pode ser feita em revistas, para enobrecer e trazer uma informação diferente ao tato, com um relevo mais brilhante ou mais fosco que o restante do material. O verniz UV também pode ser utilizado como uma ferramenta para ajudar na durabilidade do material e pode ser interessante para revistas que têm uma periodicidade mais espaçada entre as edições.

A aplicação de um verniz UV pode ser localizada, para dar destaque e diferencial a algum detalhe ou numa aplicação total na página.

Outra ferramenta muito interessante para utilização em capas é o processo Hot Stamping, uma aplicação de camada metalizada, que funciona muito bem em palavras, como no próprio nome da revista, ou em outros detalhes menores que merecem destaque.

Investir em uma gramatura mais pesada também é um diferencial que deixa o material mais robusto. Altas gramaturas também aumentam a resistência da revista e a deixam com um ar mais profissional.

Cortes especiais também são mais uma opção disponível para deixar o seu material mais criativo. Uma aplicação localizada na capa com certeza despertará a curiosidade de quem se deparar com a revista.

Solte a imaginação para pensar nesses detalhes que farão os seus leitores cuidarem da edição como se fosse um livro ou item colecionável.

Se utilizar aplicações e acabamentos diferentes na sua revista de uma forma contínua não for uma opção pela questão do custo, aposte nesses diferenciais em edições especiais e comemorativas!

Conheça algumas revistas com diferenciais editoriais

Revista ZupiA Revista Zupi é direcionada para artistas e criativos, designers e ilustradores. No mercado desde 2001, bilíngue (inglês e português) e distribuída em 22 países, a Zupi sempre traz capas diferenciadas e que se destacam. Trabalham também com um formato diferente do padrão, com uma revista de um tamanho menor. O conteúdo da revista também é muito rico e visual, com trabalhos de uma extensa equipe de criativos.
revista-zupi
@Pinterest

 

Revista PiauíConhecida pelas matérias e reportagens inteligentes e críticas, com a política nacional como principal plano de fundo, a Revista Piauí também investe em capas chamativas para atrair a atenção do leitor. É um ótimo exemplo de publicação que une um conteúdo interessante com apelo visual.
revista-piaui  
@Pinterest

 

Computer ArtsOutra do mundo do design, distribuída em vários países e em várias línguas, a revista Computer Arts trabalha com capas com acabamentos e escolhas fora do padrão, principalmente nas edições americanas.
computer-arts
@Pinterest

Apostar em materiais, acabamentos ou recortes especiais é um diferencial que irá destacar a sua revista no meio de tantas outras nas bancas de jornal e livrarias do país. Se a sua revista for corporativa ou promocional, esse cuidado com os detalhes também irá impactar o seu cliente de forma muito positiva!

 

E você, já pensou nas possibilidades para diferenciar a sua revista através dos materiais de produção? Conte a sua ideia aqui nos comentários!

pdf-para-impressao

PDF para impressão: como fechar seu arquivo

Uma impressão de qualidade garante ao seu material de divulgação uma boa apresentação e passa uma imagem positiva sobre a sua marca. Saber como fechar o PDF para impressão é muito importante se você mesmo está desenvolvendo ou alterando algum material da sua empresa.

Independente se você mesmo está fazendo a criação desse material ou se está desenvolvendo a arte com um designer profissional, a forma como esse arquivo chega até a gráfica que produzirá o material define a qualidade final do seu produto.

Existem duas formas de enviar o material para a produção com a gráfica escolhida: em um arquivo aberto ou em um arquivo fechado. O arquivo aberto é salvo em algum software de criação, de desenvolvimento da arte (Illustrator, Corel Draw, InDesign ou Photoshop são os mais utilizados) e permite que alterações e ajustes sejam feitos no arquivo. Enviar a arte aberta para a gráfica só é interessante se foi alinhado previamente com a própria algum ajuste no material – se o cliente acertar com a gráfica para que ela mesma realize esses ajustes.

Já o arquivo fechado não possibilita edição de nenhuma informação ou elemento no material, protegendo-o assim de distorções e garantindo que o resultado final do impresso seja exatamente o que foi enviado para produção.

Continue lendo o post de hoje para entender quais são as vantagens de enviar um arquivo fechado em PDF para a gráfica e conheça o processo de finalização dos materiais:

Por que fechar em PDF um arquivo para impressão?

Existem alguns formatos de arquivos fechados. Os mais utilizados são o JPG ou JPEG, TIF e PDF.

Arquivos fechados em JPG ou JPEG são mais indicados para utilização online, em blogs, sites e outras mídias digitais. Arquivos em TIF funcionam muito bem para impressão de imagens com alta qualidade, compactando os arquivos com menor perda de qualidade se comparado com o JPEG e é compatível com a maioria das plataformas gráficas.

Já o modelo em PDF é o mais indicado para materiais que posteriormente serão impressos.

No mercado, já é padrão que as gráficas solicitem aos clientes arquivos fechados em PDF para impressão dos materiais. Essa prática é a mais segura, tanto para quem vai produzir, quanto para quem solicitou a produção, pois a maior vantagem do arquivo fechado em pdf é que alterações na arte não podem ser realizadas.

Arquivos em PDF podem ser abertos em praticamente todas as plataformas, inclusive em sistemas de celular. Além disso, todos os programas de criação utilizados oferecem a opção de salvar o arquivo em PDF.

O tipo de fechamento do arquivo interfere nas cores na hora da impressão?

É preciso estar atento a todos os detalhes na hora de produzir um material gráfico para a sua empresa.

Um desses detalhes é se atentar aos perfis de cores para impressão. As nomenclaturas RGB e CMYK são utilizadas para dois padrões de cores utilizados na criação de projetos e materiais, em diferentes plataformas e para diferentes fins. Mas, então, qual a diferença entre os dois e como entender a aplicação nos materiais?

RGB é o padrão utilizado quando pensamos em luz. Em materiais e imagens que aparecerão em telas e dispositivos de mídias digitais, as cores devem estar em RGB (composto pelas cores vermelha, verde e azul).

Já o CMYK é o perfil de cor utilizado para tinta, para impressão. No processo de impressão OffSet e impressão digital, as cores CMYK (ciano, magenta, amarelo e preto) são gravadas no material impresso, resultando no material final.

Mesmo que o modo CMYK não seja selecionado e configurado no arquivo antes da impressão, a conversão entre os padrões de cores acontece automaticamente quando passamos um arquivo digital para o impresso, mas esse processo pode comprometer o resultado final e alterar algumas cores entre o que você vê na tela e o material impresso.

O ideal para materiais que serão impressos é já trabalhar no arquivo utilizando o padrão CMYK ou realizar manualmente a conversão do formato no arquivo digital, antes de enviar para a produção gráfica.

Como fechar o PDF corretamente

Depois de terminar a criação do material nos programas de design que já citamos aqui, como Illustrator, Corel Draw, InDesign e Photoshop, chega a hora de fechar o arquivo. Todos esses softwares oferecem a possibilidade de salvar em PDF o arquivo do material criado.

Existem também algumas versões diferentes de PDF. A mais utilizada para fechamento de arquivos para produção gráfica é a PDFX-1A. Esse tipo de PDF foi criado para compactar arquivos pesados em mais leves, sem perder a qualidade e garantir que possam ser enviados de forma mais rápida e segura. Essa opção garante que a impressão do arquivo fique livre de erros e distorções.

O fechamento do arquivo em PDF depende do software que está sendo utilizado para criar o material. Apesar dessa opção estar em todos os sistemas, o passo a passo é diferente em cada um deles.

No geral, os passos iniciais que devem ser seguidos para fechar corretamente o seu arquivo no formato PDF-X1A são os mesmo em diferentes programas:

box-como-fechar-arquivo-pdf-para-impressão

Alguns detalhes técnicos mais avançados também devem ser checados antes de fechar o arquivo em PDF, mesmo seguindo os passos acima.

É importante verificar também:

  • O tamanho e proporções do material;
  • A resolução do seu arquivo – o ideal é sempre acima de 300 DPIS;
  • Se todas as cores estão em CMYK;
  • Se o texto preto está somente no canal K (que representa o preto);
  • Se a arte está dentro das margens de segurança do material – a margem de segurança é sempre 3mm para cada lado para dentro do material, considerando o tamanho real do mesmo. Por exemplo, em um cartão de visita 90 x 50mm – a margem de segurança é 84 x 44mm. Esta delimitação precisa ser respeitada por todos os objetos a serem impressos, exceto o fundo da arte;
  • Se o arquivo está sangrado. A sangra é sempre 3mm para cada lado do tamanho real do material. Usando o mesmo exemplo do cartão de visita, sendo 90 x 50mm – ficará 96 x 56mm. Esta sangra deve ser apenas do fundo da arte, sendo uma margem para corte do material;
  • Caso a arte tenha dobra, fazer um ‘boneco’ deve ser impresso e montado antes, para verificar se a orientação do layout da frente está de acordo com o verso;
  • Checar se todas as fontes do arquivo estão convertidas em curva.

A Papira disponibiliza um guia de montagem com passo a passo completo com esses detalhes mais complexos de fechamento de arquivos para te orientar nesse processo.

Lembre-se que, tão importante quanto fechar o arquivo corretamente é enviar as especificações corretas para a gráfica e a escolha adequada do tipo de papel, para garantir a qualidade máxima da impressão do seu material.

Aprendeu como fechar PDF para impressão? Confira o guia de montagem da Papira com o passo a passo, se restar alguma dúvida!